Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic InnovationRadarBeauty Fair apresenta 8 insights de tendências do varejo mundial com foco em perfumaria

Beauty Fair apresenta 8 insights de tendências do varejo mundial com foco em perfumaria

  • Written by:
Os tópicos foram apresentados durante encontro para 400 empresários donos de perfumaria e representantes da indústria

Pelo terceiro ano consecutivo, a Beauty Fair, maior provedora de conteúdo do setor da beleza, organizou um encontro para apresentar insights e tendências para o setor do varejo com foco no canal perfumaria. O conteúdo apresentado nesta terça-feira (20/2) foi absorvido e organizado em forma de curadoria durante viagem organizada pela Beauty Fair no início do ano à National Retail Federation – Retail’s Big Show 2018 (NRF), nos Estados Unidos, em janeiro deste ano.

Curso Cosméticos Capilares

Cesar Tsukuda, diretor-geral da Beauty Fair, comemorou a iniciativa realizada com o objetivo de promover o desenvolvimento do canal com informação especializada e networking aos empresários do setor e donos de perfumarias. “Viabilizar este projeto é reforçar o quanto acreditamos no segmento da beleza e o quanto este canal ainda tem a se desenvolver. Com as experiências adquiridas já temos inclusive alguns cases de redes de perfumarias que aplicaram as novidades apresentadas durante as edições da NRF e são considerados verdadeiros sucessos”.

Confira os highlights de cada um dos temas abordados, apresentados por Eduardo Terra (Sócio-diretor da BTR Educação e Consultoria) e Alberto Serrentino (fundador da Varese Retail):

Um varejo global por uma nova perspectiva

A questão da globalização tem sido cada vez mais abordada. A Ásia tem se destacado tornando-se bastante competitiva quando o assunto é inovação. Chega neste cenário o conceito Cross-Border, quando é realizada a compra de e-commerces de outros países com recebimento no Brasil, por exemplo. Fazendo uma análise, isso nos traz um varejo global com uma grande oportunidade: marcas estão vendendo para o mundo sem estarem necessariamente em determinado país. Trazendo para a nossa realidade, esta é uma oportunidade para as marcas nacionais se posicionarem e atuarem internacionalmente.

Pagamento móvel e criptomoedas

Temos aqui uma forte revolução quando o assunto é pagamento. No Varejo é tido como um processo delicado e refletir sobre eliminar este atrito pode gerar três pontos: 1 – redução de custo de pagamento para as lojas (cai a transação eletrônica); 2 – a experiência do cliente torna-se melhor e 3 – analisar que hoje tudo está sendo feito pelo celular (mobile commerce já tem representatividade no volume global). Quanto aos bitcoins e criptomoedas, estes são fenômenos precisam ser melhor discutidos, pois ainda dependem de um avanço para a sua aplicabilidade e têm gerado importantes debates sobre o futuro da moeda no mundo.

Bespoke Retail

Este insight traz o significado de “Varejo sob medida”. Segmentar já não é mais suficiente. Está ligado à personalização e customização dos serviços, produtos, entregas e canais de compra. Construir uma comunicação (estratégias de marketing), promoções e atendimentos dirigidos, com o auxílio da tecnologia para tangibilizar o Bespoke Retail. Estamos saindo de uma era em que clientes procuravam produtos e serviços, agora são os produtos e serviços que procuram as pessoas.

Tecnologias emergentes

As tecnologias estão mais acessíveis para gerar eficiência nos negócios e melhorar experiência do cliente. Investir em soluções para não perder venda é fundamental, oferecendo menos atrito para pagamentos e finalizações de compras, e utilizar recursos como robôs para menos ruptura e reposição e produtos, por exemplo, realidade aumentada e virtual, etc.

Amazon invade o varejo físico

A marca tem por representatividade desafiar e inovar o cenário do varejo. Traz uma dinâmica operacional e novas arquiteturas de ações que mexem com o mercado, sem contar nos seus processos visando eliminar atrito, o recurso de pagamento invisível, sua cultura digital e a prática de inciativas pioneiras. Como exemplo, podemos citar o Amazon Book e Amazon Locker.

Transformação digital e ecossistemas

O ambiente digital não é mais uma área de competição de empresas de comércio eletrônico, pois cada vez mais acontecem entre grandes ecossistemas, rompendo e integrando por exemplo marketplaces, evolução ou aceleração do negócio, além de plataformas de pagamentos e serviços, e conteúdo e entretenimento.  O mundo digital é uma explosão de ofertas e, com isso, a gestão fica complexa.

O que é loja?

Loja é tudo: ponto de venda, de compra, de entrega, logística, serviços, soluções, experimentação, convivência e experiência. Loja resume-se em baixo atrito e experiência! Vale discutir o futuro das lojas quebrando estereótipos olhando para o cliente enxergando outras formas de contato e atratividade. Deve ser o local que o cliente escolha comprar e queira voltar. A partir do mix de interação, experimentação e impactos visuais enriquecedores e tecnologia, as lojas se tornarão mais relevantes com perfil analítico.

Liderança digital

Está ligada à definição de propósito, engajando pessoas e consolidando cultura! Tudo isso é prioridade estratégica. Sua cultura tem que estar estabelecida para que haja evolução, com fundamentos sólidos e propósitos – uma estrutura organizacional com modelo de gestão, métricas e remuneração. Colocar em prática o relacionamento da marca com os clientes, fazendo uso dos dados e conectividade móvel. A forma de acreditar e se relacionar com a tecnologia é que irá gerar o engajamento e colaboração das equipes.

Outros conceitos

Durante o evento, Daniel Pozza e Grasiela Tesser, diretores da NL Informática e consultores técnicos de delegações da NRF, explanaram sobre o desafio de simplificar o varejo com a sofisticação da tecnologia.  Na ocasião destacaram a personalização, com a necessidade de olhar para o consumidor trazendo um conceito único e customizado; bem como a questão do clienteling, com foco na história do cliente. Consumidores costumam deixar rastros através de pesquisas sobre o que realmente querem. Cabe às empresas entenderem as preferências e necessidades dos clientes, para ofertar os produtos e serviços mais direcionados possíveis.

Neste contexto cabe oferecer ainda atributos como personal shopper, IOT, self/mobile checkout, reconhecimento fácil, prateleiras inteligentes, etc.

Focar também na excelência operacional – a nuvem democratizou a tecnologia – ter produtos à disposição para atender as demandas do mercado. Começar, testar e experimentar algo, sendo rápido, errando rápido e aprendendo mais rápido ainda para encontrar o caminho certo sem medo!

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Nossos canais

Parceiros