Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On Linkedin
Cosmetic InnovationDestaque InternacionalBeleza independente: onde ideias, inspiração, inovação e investimentos acontecem na indústria de HPC (parte 2)

Beleza independente: onde ideias, inspiração, inovação e investimentos acontecem na indústria de HPC (parte 2)

  • Written by:
O movimento de beleza independente é incontrolável. Não é mais um mercado de nicho, e tampouco pode ser negligenciado. Essa matéria analisa quais são as tendências das marcas independentes e como as marcas convencionais estão respondendo a elas

Trazer algo novo ao mercado é sempre um risco. A tecnologia inovadora por trás das Máscaras de Cuidados Anti-envelhecimento da Pele da Nannette de Gaspé Beauté (mencionadas na parte 1 desta matéria) por exemplo, não tem  precedentes na área de beleza. É comum marcas de beleza independentes testarem a prontidão do mercado com novos produtos e conceitos.

Criando Tendências

 

Marcas independentes arrojadas estão frequentemente em vantagem (se não à frente na curva) em relação ao que está por vir em beleza, fragrâncias e cuidados pessoais. Enquanto gigantes da indústria, como a IFF Lucas Meyer e a Johnson & Johnson, estão pesquisando e lançando lentamente produtos relacionados ao microbioma da pele e do couro cabeludo, marcas como Mother Dirt e Gallinée já tomam a ciência das bactérias como foco de suas marcas.

Assim como o ambientalismo e a responsabilidade social corporativa tornaram-se iniciativas acalentadas por empresas multinacionais, causas culturais e sociais inspiram as marcas “indie”, como a Pinch of Color. A marca, fundada por Linda Treska, não só fabrica produtos coloridos e para os lábios sem água, mas também trabalha em estreita colaboração com as causas de conservação da água em todo o mundo.

A área de fragrâncias naturais consiste em um nicho, graças a marcas arrojadas, como a Pour le Monde. Wendi Berger, fundadora da marca, comentou que “nos três anos desde o lançamento da Pour le Monde, houve um enorme crescimento no mercado de beleza natural, à medida que mais consumidores questionam sobre os ingredientes encontrados nos produtos de HPPC. Eles examinam e responsabilizam as empresas, esperando a mesma transparência, eficácia, ingredientes de origem sustentável e produtos livres de crueldade”.

O aumento dos produtos capilares e cosméticos coloridos para consumidores não-caucasianos também foi encurralado pelo movimento de beleza independente. “Finalmente, estamos vendo produtos e serviços – criados por pessoas negras ou não caucasianas – que abordam as necessidades de beleza dessas mulheres de maneira autêntica”, afirmou Jihan Thompson, co-fundadora e CEO da Swivel Beauty, um aplicativo que ajuda mulheres negras a encontrarem o salão e o estilista corretos. Como o aplicativo exemplifica, a tecnologia digital torna mais fácil para novas marcas e serviços alcançarem diretamente seus consumidores.

E as empresas independentes parecem ser para onde a tendência do esporte e da saúde começou a correr. É raro falar sobre beleza ativa na mídia de consumo sem mencionar a inovadora marca Sweat Cosmetics. E as marcas de beleza “indie” lideram essa tendência em termos de simplicidade (como as gemas faciais da Feather & Bone), portabilidade (como a Stowaway Cosmetics) e praticidade também (como no caso da Switch Fresh).

Financiamento

 

Dinheiro fala mais alto. A grande indústria da beleza adotou uma atitude empresarial e abraçou a beleza “indie”, com prêmios, incubadoras e investimentos ou aquisições.
As startups estão com tudo e competições como os prêmios L’Oreal NEXT criam um espaço onde a tecnologia e a inovação mais recentes podem associar a capilaridade com a experiência e o alcance da grande indústria da beleza.

Incubadoras para marcas de produtos acabados, como o projeto Preneur da P&G, para empresas de fornecimento, como a JLABS da Johnson & Johnson, e para empresários individuais, como a Sephora Accelerate – todos esses atuam como catalisadores do avanço e inspiraram marcas legítimas a emprestar e desenvolver o melhor do que há de novo.

Os capitalistas de risco, as empresas de investimento e os banqueiros, todos têm um grande interesse na indústria de beleza “indie” hoje; e é tanto por essa razão quanto por seu espírito disruptivo e empreendedor que ela está aqui para ficar.

Fonte: Cosmetics-Design

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Nossos canais

Parceiros