Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic InnovationInteligência de Mercado RadarKim Kardashian: como ela usou as redes sociais para construir um império de beleza

Kim Kardashian: como ela usou as redes sociais para construir um império de beleza

  • Written by:
Empresária revelou como usa cada rede e cada crítica que recebe nas plataformas digitais para crescer sua marca, que deve render US$ 100 milhões em seu primeiro ano

Kim Kardashian é uma das mulheres mais famosas do mundo. Qualquer post seu nas redes sociais gera milhões de curtidas e uma série de matérias em sites de comportamento do mundo inteiro. Com tanta atenção, uma das maiores críticas feitas a ela é a de que Kim é apenas “famosa por ser famosa”.

Faz tempo, porém, que tal definição não pode ser aplicada à mulher de Kanye West. Após se envolver com alguns contratos de licenciamento, a empresária resolveu lançar sua própria marca de cosméticos, a KKW, que chega a vender cerca de 350 mil unidades de cada produto que lança – o que pode resultar em uma receita de mais de US$ 100 milhões em seu ano de estreia.

E foi justamente sobre sua imersão como mulher de negócios no universo da beleza que Kim conversou com o The Business of Fashion para seu primeiro especial sobre a indústria de beleza, The Business of Beauty.

Kim Kardashian (Foto: Reprodução/BoF)

Na conversa (em que ela fala também sobre sua família, dicas valiosas de Kanye West e como surgiu a idea de seu reality show), Kim mostra com naturalidade que aprendeu muito bem com sua mãe, Kris Jenner – que toca todos os negócios da família Kardashian -, como construir um império. A diferença é que Kardashian está um passo a frente, tendo total domínio e entendimento sobre o poder das redes sociais, usando-o com maestria a seu favor.

Ao conceber a KKW, ela fala que um de seus primeiros objetivos ao estrear o kit de contorno que lançou a marca no mercado era que tudo fosse fácil de aprender a usar em casa, mas sua visão de usar a plataforma das redes sociais como sua maior fonte de divulgação e vendas é que funciona como o carro-chefe do sucesso da marca de beauté.

Kim também explicou que faz questão de criar tutoriais ensinando seus seguidores a usar cada produto, mostrando em detalhes cada um deles, com frequência, nesse formato digital: “Claro, quanto mais você postar, mais atenção você tem. Porém é uma linha tênue entre floodar sua conta. Quando eu tenho um lançamento chegando e estou muito animada, amo as imagens da minha campanha, então posto muito”, conta, revelando que até ela consegue detectar quando bombardeou demais suas redes com conteúdo, afirmando que não quer que as pessoas achem que suas contas se tornaram apenas mais uma ferramenta de marketing.

Kim Kardashian (Foto: Reprodução/ Instagram)

É aí que entra toda a sua experiência como a influencer mais poderosa do mundo, sabendo como escolher exatamente em qual mídia social usar cada tipo específico de conteúdo: “O Snapchat tem os melhores filtros, então sempre uso a câmera e os filtros deles para postar. Com o Instagram é um moodboard, eu posto como estou me sentindo, qual é minha vibe para o que estou fazendo aquela semana, então lá é um bom termômetro da minha personalidade e o que estou sentindo. Com o Twitter, eu realmente me comunico com as pessoas”, detalha, com o mesmo afinco que uma grande empresa expõe seu plano de divulgação de campanhas. A única mudança realmente massiva que todas as suas redes sofreram nos últimos tempos? Após o assalto que sofreu em Paris, Kardashian não posta mais nada em real time.

Não avessa a ouvir seu público e suas opiniões, Kim diz que o feedback de seus seguidores no Twitter é levado a sério por ela, dando como exemplo uma vez em que pediu para que escolhessem a cor do frasco de um de seus perfumes entre duas opções. Mas as críticas voluntárias na rede também entram nas conversas de concepção e adaptação de cada produto ao mercado.

“Eu li muita gente reclamando que não havia produto o suficiente”, disse sobre o feedback de seu kit de contorno. “Então quero fazer nossos sticks de contornos maiores”, anuncia, já pensando em novas opções para o cosmético, maiores, e vendidos individualmente: “Estamos trabalhando nisso. Escuto em alto e bom som que eles querem mais produto.

Kim Kardashian (Foto: Reprodução/BoF)

Sobre essa troca que se faz entre Kim e o público nas redes sociais, ela deixa claro que esse é um dos grandes diferenciais de sua marca, e um de seus grandes pilares – a resposta do público pode sim afetar o desenvolvimento de produtos, e render adaptações para que todos se sintam atendidos. “Porque é minha empresa, minha companhia, tenho o luxo de poder fazer isso, então faço, reestocando cada item com o conselho que recebi deles. Sinto que as pessoas sentem que estão nessa comigo. Eles estão me ajudando a construir essa marca”, declara.

No bate-papo com o The Business of Fashion, Kim também comentou sobre os haters das redes sociais, como tem que ser muito forte para lidar com tantas críticas negativas na internet, afirmando que é mesmo muito difícil lidar com tanta energia negativa e ódio direcionados a você nos comentários, mas aparentemente Kim não tem tempo para focar em tamanha pequenez: ela está usando um a um para construir seu império, que só com seu primeiro lançamento rendeu US$ 14 milhões, vendendo 300 mil kits em questão de horas. Uma garota esperta.

Fonte: Vogue

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Nossos canais

Parceiros