Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram

Sustentabilidade por dentro e por fora

  • Written by:
Mais do que nunca, as pessoas se importam com o que aplicam em seus corpos. Como na indústria de alimentos, cosméticos e produtos de cuidados pessoais também evoluíram, promovendo ingredientes à base de plantas, naturais e orgânicos em séruns, batons e loções.

E embora esses movimentos sejam bons para os consumidores e para o meio ambiente, a embalagem desses itens tem um impacto maior no mundo, assim como no resultado final de uma empresa. Reduzir as emissões de carbono e os materiais de embalagem, bem como melhorar a reciclabilidade, são essenciais, mas sem um roteiro claro ou um plano de ação bem informado, a decisão de incorporar muitos desses materiais de embalagem “verdes” pode atrair consequências perigosas.

Redefinindo Embalagem “Verde”

Hoje, as embalagens tornaram-se tão importantes para o ciclo de caminho de compra quanto o próprio produto. É a primeira coisa que um consumidor experimenta quando entra em uma loja ou navega on-line. As empresas, especialmente aquelas que vendem produtos ecologicamente corretos, gastaram recursos e investimentos significativos para espelhar a crescente demanda dos consumidores por ofertas sustentáveis. Na verdade, o mercado global de embalagens verdes deve chegar a US$ 237,8 bilhões até 2024, de acordo com um relatório da Grand View Research. Dito isso, os fornecedores de embalagens estão conscientemente investigando e integrando materiais ecológicos em seus serviços. Mas o que o termo “verde” realmente significa? Os fornecedores devem reconhecer que a mera utilização de embalagens biodegradáveis ​​raramente é a solução mais sustentável e ambientalmente responsável para um produto ou negócio.

Isso não quer dizer que materiais de embalagem mais sustentáveis ​​não podem servir como catalisadores para atingir as metas de responsabilidade corporativa. Certamente, limitar o uso de materiais nocivos, como a redução de plastificantes e ftalatos, ou a eliminação gradual do PVC ou policarbonatos, pode ajudar a manter uma sustentabilidade duradoura e eficaz. Mas as empresas devem ser encorajadas a abordar a questão analisando em profundidade a pegada de carbono de toda a organização e operação da cadeia de suprimentos. Para começar, as empresas devem analisar seu uso de energia, bem como as operações e a eficiência da planta. As melhorias poderiam incluir a redução de maquinaria de metais pesados, levando a maiores emissões de carbono ou otimizando o transporte através da fabricação localizada. Talvez essas empresas avaliem as saídas de materiais e escolham cuidadosamente os equipamentos operacionais essenciais. Isso pode incluir a incorporação de paletes reutilizáveis ​​com mais frequência ou a adoção de componentes leves para melhorar o empacotamento de acordo com as relações de peso do produto.

Atendendo às demandas de sustentabilidade dos consumidores e varejistas

Ao olhar para quanto investir em práticas sustentáveis, as empresas geralmente se sentem pressionadas a adotar o famoso “véu verde”. Os consumidores, mais do que nunca, estão exigindo soluções que são melhores para o planeta e muitos consideram ser “amigável para o ambiente” um importante fator de compra, especialmente para marcas premium. Embora os hábitos de compra demonstrem uma necessidade significativa de permanecer vigilantes sobre as melhores práticas sustentáveis, o que os consumidores desejam e o que estão dispostos a pagar são duas coisas diferentes. Ao encontrar esse ponto ideal geralmente é onde os produtos encontram sucesso.

Os varejistas também estão pressionando não apenas os materiais da embalagem, mas também como os itens são embalados. Mais e mais varejistas on-line, como a Amazon, insistem em menos materiais e em um processo de remessa mais simplificado, do fabricante ao revendedor e ao consumidor. Embora esse aspecto da sustentabilidade possa não ser negociável para os consumidores, pode ser muito mais impactante para sua lucratividade. A simplificação de suas embalagens e envios pode economizar seu dinheiro, e a falha em aderir às especificações do varejista pode ser cara, com os fora do padrão tendo que pagar taxas maiores por unidade.

Aplicação Eficaz da Embalagem

Embalagens em excesso, embalagens difíceis de abrir e escolha de materiais de embalagem podem afetar os hábitos de compra e recompra de um consumidor. Eles considerarão comprar um outro produto se tiverem uma impressão negativa da embalagem, mesmo que gostem do produto em si. Usar o máximo possível de material reciclado pós-consumo pode ajudar a reduzir as emissões de carbono e resolver o uso excessivo de embalagens para o trânsito. Embora a alta capacidade de reciclagem continue sendo uma prioridade importante para os consumidores, os fornecedores de embalagens precisam lembrar que a embalagem ainda requer fascínio para ter sucesso. Tornar a embalagem sustentável desejável pode ser um desafio, mas o uso de alternativas ao plástico, como papelão, pode exibir produtos de maneira simples, elegante e ambientalmente amigável. Encontrar um parceiro de embalagem de qualidade que entenda os desafios enfrentados pelo empacotamento e envio de produtos de higiene pessoal pode ser o primeiro passo para encontrar o equilíbrio que reduz os custos e aumenta as vendas.

Em última análise, a sustentabilidade pode ser um ativo positivo para o crescimento de primeira linha, mas deve ser abordada com cautela. O material de embalagem clean é um meio para as organizações e fornecedores iniciarem um caminho para atender à demanda e à contribuição do consumidor. 

Fonte: gcimagazine.com 03.05.2019

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Nossos canais

Parceiros