Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic InnovationFashion Novos produtosVictoria Beckham lança skincare e finaliza perfume no próximo ano

Victoria Beckham lança skincare e finaliza perfume no próximo ano

  • Written by:

“Lanço o meu primeiro produto de skincare na próxima semana. O meu primeiro perfume chegará no próximo ano, já comecei a trabalhar nele”, anuncia de surpresa Victoria Beckham, ao passar pela edição 2019 do Vogue Fashion Festival, em Paris.

A empresária britânica reafirma-se no universo da beleza e aumenta a sua aposta na sua marca Victoria Beckham Beauty, lançada este ano.

Victoria Beckham não é uma estreante no setor. Após uma série de colaborações de maquilhagem com a empresa americana Estée Lauder, a designer decidiu trabalhar na sua própria marca homónima. “Aprendi muito com a experiência com eles, mas também me permitiu perceber que, se quisesse lançar a marca de beleza do futuro, teria que o fazer por conta própria”, explica a britânica sobre a sua caminhada a solo, iniciada este ano. As suas prioridades? Um posicionamento de luxo, fórmulas clean, transparência na comunicação, vontade sustentável mediante o uso mínimo de plásticos e a ausência de packaging, assim como uma oferta inclusiva, adaptada a cada tom e tipo de pele.

Beleza, o futuro de Victoria Beckham

Para isso, Victoria Beckham não esteve sozinha. Da Estée Lauder trouxe não só uma aprendizagem útil, mas também o talento de Sarah Creal, especialista no desenvolvimento de produtos de maquilhagem com quem trabalhou para o lançamento das duas cápsulas com o grupo. Uma aliança que a converteu em CEO e cofundadora da Victoria Beckham Beauty, a linha de negócio que hoje em dia parece marcar o eixo de crescimento da empresa. O que não é surpreende. O lançamento da marca, anunciado no Instagram através de uma fotografia desfocada do smokey eye de Victoria Beckham, revolucionou as redes sociais em setembro passado.

Foi o primeiro passo do novo negócio de Victoria Beckham. Esta terça-feira, 19 de novembro, a designer dará o salto para a cosmética, sob a hashtag #VBGlow, com um primeiro produto de hidratação de luxo desenvolvido com o especialista Agustinus Bader. “Foi uma honra colaborar com Victoria no seu primeiro lançamento cosmético. Trata-se do primeiro produto deste tipo para proteger as células do rosto enquanto prepara a pele para a aplicação de maquilhagem”, afirmou o professor através do Instagram sobre o creme facial, que será comercializado por 205 libras (cerca de 240 euros).

A diversificação da oferta também deverá expandir as margens e refrescar as contas de Beckham. De acordo com os últimos dados disponíveis, as vendas da empresa cresceram 17% em 2018 para 42,5 milhões de libras, enquanto as perdas subiram para 10,2 milhões de libras. A empresa, dirigida desde 2018 por Marie LeBlanc de Reynes após a saída de Paolo Riva, apenas um ano após a sua incorporação, pertence em 28% à Neo Investments Partners, que injetou 30 milhões de libras para impulsionar o seu desenvolvimento físico e online em 2017. Nesse mesmo ano, David Beckham fez o mesmo com uma injeção de capital de 23 milhões de libras.

“Gostaria de fazer muitas colaborações e estou aberta a discussões”

“Acho que é interessante para os consumidores quando colaboramos. É algo que me inspira e ainda mais quando são inesperadas. É também algo que permite que uma pessoa aprenda, se forme e se posicione em outras categorias”, comenta Victoria Beckham, indo além do universo beauty. Um exemplo? A sua colaboração com a Reebok, que lhe permitiu entrar no terreno do sportswear, e pela qual a designer destaca o positivo da possibilidade de trabalhar com fábricas e especialistas específicos do setor. “Por enquanto, somos uma equipa pequena [NR: 179 funcionários em 2017], mas gostaria de fazer muitas colaborações e estou aberta a discussões”, conclui.

Para isso, Victoria Beckham faz questão de se rodear dos melhores, da sua admiração por Karl Lagerfeld à sua amizade com Valentino. “Gosto de me cercar de pessoas extremamente inteligentes e inspiradoras, mas, ao mesmo tempo, é importante manter o foco no que se deseja e no que a nossa comunidade espera de nós. É essencial permanecermos fiéis a nós mesmos e honestos com o que fazemos”, explica com uma segurança esmagadora.

No seu discurso, Victoria Beckham enfatiza repetidamente a sustentabilidade. “Como indústria da moda, temos que recuperar o tempo perdido. Em beleza, foi mais fácil para mim recuperar a sustentabilidade, porque, como se trata de um novo lançamento, partimos completamente do 0. Além disso, é uma forma de desafiar as minhas equipas”, explica sobre as prioridades da empresa. E acrescenta: “Quero propor roupas que as pessoas possam usar uma temporada após a outra. É também uma forma de entender a sustentabilidade.”

E onde fica a mulher por trás do ícone Victoria Beckham? “Como consumidora, não encontrava o que procurava”, lembra sobre as motivações que a levaram a lançar a sua marca homónima há 11 anos, após colaborações pontuais com diferentes marcas. “Sabia que existiriam preconceitos por ser mulher de David Beckham ou uma das Spice Girls. Na verdade, não precisava ouvir nada disto, prefiro críticas construtivas”, assegura.

“Hoje em dia, me considero feminista”

Uma trajetória pessoal e profissional que garante ser indispensável para chegar até onde está agora. “Se não tivesse estado assim vestida em palco, não seria o que sou agora e não teria levado o posh ao extremo”, brinca sobre o seu passado em questões de estilo. E, vai mais além: “Durante a minha época nas Spice Girls na década de 1990, tudo tinha a ver com aceitar-se e abraçar quem se é, era uma mensagem poderosa que inevitavelmente nos tornou feministas. E, hoje em dia, considero-me feminista”, assegura, orgulhosa de como isso se reflete na alta representação das mulheres na sua empresa.

Depois de se definir como control freak do processo criativo de todas as questões relacionadas com a marca, Victoria Beckham admite que “há uma conversa constante com a comunidade”: “Tento oferecer-lhes o que querem, em moda e beleza. Proponho roupas que eu usaria, mas também que me fazem sonhar.” Mas, não perde de vista a realidade, que exige uma representação de mulheres reais. “Sou uma mulher de 45 anos, com quatro filhos. Não usaria uma minissaia, mas ainda a desejo e posso usá-la para uma sessão de fotos”, reconhece.

Quando se emociona ao receber os aplausos no final de cada desfile, Victoria Beckham não esquece o seu nível de autoexigência nem o preço da conciliação. “Muitas pessoas não percebem o que está por trás. Questiono-me constantemente sobre se o que construo nos desfiles é correto ou suficientemente bom. Como mãe trabalhadora, renunciei a coisas e isso implica que me sinta culpada”, confessa sobre as suas fraquezas. O que dizer então sobre esta indústria aos mais jovens? “Quando se obtém sucesso, percebe-se que é ainda mais difícil mantê-lo. É preciso continuar a trabalhar arduamente e desfrutar da viagem.”

 

 

 

 

 

Fonte: Fashion Netword 19.11.19

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros